Vamos falar sobre ansiedade?

BRUNO ADRIANO

BRUNO ADRIANO

A ansiedade está cada vez mais comum e todos nós já sentimos os seus sintomas.

É o medo de algo que ainda não aconteceu. É muito próxima da preocupação e do temor de que as coisas não saiam como gostaríamos.

É uma reação ou uma tentativa do cérebro ao achar que temos algum risco a caminho, é difícil não sentir ansiedade quando está chegando o dia de uma viagem incrível ou de uma prova muito difícil. Sentir-se ansioso por causa de uma prova, pode te incentivar a se preparar mais para ela, então, embora a ansiedade não seja agradável, ela pode ser útil, funcionando como um sistema de proteção, e é um sintoma da vida normal necessária para a sobrevivência e para nossa evolução.

O problema é quando os níveis de ansiedade são muito intensos, desproporcionais a sua causa, começam a atrapalhar o dia a dia e passam a se tornar uma patologia. Os transtornos de ansiedade prejudicam grande parte da população mundial e é conhecido como o mal do século.

De acordo com o The Mind Set, as mulheres com a faixa etária entre 45 e 49 anos, são as que mais sofrem com os transtornos de ansiedade, e isso se dá devido aos hormônios e também questões sociais como o machismo. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), o Brasil ocupa o primeiro lugar e lidera o ranking mundial de pessoas com ansiedade.

Pensar excessivamente é uma bomba contra a nossa qualidade de vida e causa a ansiedade. Os sintomas mais comuns são: medo, perda de esperança, falta de ar, coração acelerado, alterações no sono, diarréia, tensão muscular, aumento do suor, náuseas, boca seca, sensação de fraqueza ou cansaço, entre outros. Em algumas pessoas, os sintomas podem ser tão fortes que acabam sendo confundidos com infarto e outros problemas cardiovasculares. Os fatores de risco da ansiedade são o estresse excessivo, uso exagerado de bebida alcoólica e entorpecentes. Para se sentir aliviado e menos ansioso(a), diminua o ritmo, reavalie sua agenda, diminua a quantidade informações a serem absolvidas, diminua o tempo nas redes sociais, comece a viver o mundo que está a sua volta, aproveite os momentos para reorganizar pensamentos e tenha foco.

Em casos considerados mais graves, é importante procurar um profissional especializado e tratamentos com medicamentos ansiolíticos. A terapia é um dos tratamentos eficazes e que tem efeitos duradouros que fazem a pessoa entender quais são os gatilhos, o que o faz ficar ansioso e a modificar alguns comportamentos que são inadequados. O Yoga e a atividade física também são formas de tratamentos.

Não exite em procurar ajuda! O corpo humano precisa de descanso, precisa respirar e a ansiedade pode ser um alerta.

Tenha calma, viva um dia de cada vez, todo mundo tem 24 horas!

Open chat